Somos inocentes. Somos adultos, mas crianças, eternamente crianças.

Não temos maldade, e algumas das nossas maldades não merecem castigo.

Andamos na vida, mas sem autonomia. Precisamos que outros tenham o pensamento em nós.

Não queremos que outros sejam como nós somos, mas pedimos que nos aceitem tal como somos.

Somos muitos e precisamos de quem nos ajude.

Se és nosso amigo, leva desta visita ao nosso sítio na Internet uma pequena informação de nós, uma lembrança que sirva à nossa e à tua solidariedade.

Leva de nós um grande abraço de amizade e de agradecimento.

 

Obrigado pela simpatia da sua visita.